Atalho do Facebook

Estou de luto

>> segunda-feira, 19 de setembro de 2011


Recebi uma notícia agora a pouco que me deixou muito triste.
A Gabi (@gabinacozinha ) descansou e foi morar no céu...
Seria muito egoísmo querer que ela continuasse entre nós transbordando alegria, otimismo e resiliência (palavra que ela nos ensinou muito bem o significado), sentindo as dores físicas e emocionais que essa doença traiçoeira causa.

Por isso, só tenho uma coisa a dizer:

Boa viagem, querida.... Aí onde você está não existe dor, remédios gigantes, cabeça raspada, nada.....Só existe amor e alegria!
Obrigada por tudo que você ensinou e saiba que sentiremos a sua falta...  falta da sua boa energia.


Vocês devem estar se perguntando, a Gabi era a melhor amiga da Kris? Não. Ela nem sabia que eu existia... Mas eu lia cada relato seu no blog, e sentia todas as suas alegrias e dores.... Chorei quando ela raspou o cabelo e vibrei quando os exames detectaram melhora.
Me considerava  mais do que sua amiga!


Ninguém imagina o que passa na cabeça de uma pessoa que recebe um diagnóstico positivo de câncer. Eu já passei por isso, e posso falar: É UMA PAULADA!
O processo da descoberta de um câncer tem 3 estágios:

- Medo, revolta, insegurança, ódio.... esses são os primeiros sentimentos que explodem!

- Depois vem a aceitação.... Ela vai chegando de mansinho e acaba tomando conta de todos os sentimentos ruins que dilaceravam seu coração. Você aceita, mas não compreende.

- Por último vem a resiliência.

Algumas pessoas param no primeiro estágio e se entregam a amargura e a revolta. Não aceitam a doença e acabam se consumindo.

Outras permanecem inertes no segundo estágio. Aceitam a doença e se tornam vítimas dela. Passam a viver "da" e "pela" doença. Adquirem uma segunda doença, a auto-lamentação.

Aí vem o estágio que poucos conseguem chegar: a resiliência...
Você não sabe o que quer dizer resiliência? Ao pé da letra, é mais ou menos isso: a capacidade que a pessoa tem de se manter sã no meio da tempestade... e de  ainda crescer com as adversidades e os problemas que essa tempestade causa.

E quem disse é é fácil manter a mente sã quando o corpo adoece? Não é fácil, não!
A revolta e o medo, do primeiro estágio, e a grande vontade de se auto-lamentar, do segundo, rondam a nossa cabeça o tempo todo.

Cabe a nós levantar a cabeça e lutar, ser valente e aprender a lição.
Vale chorar, xingar e praguejar? É claro que vale.... ninguém precisa sofrer suas dores calado. Mas vale muito mais ser feliz...Ô se vale....

Não é fácil um tratamento de câncer, seja por químio ou radioterapia.
Não é fácil a espera de 5 anos para ser considerada curada (já estou na metade, ufa!!!)
Não é fácil fazer tomografia e ressonância a cada 6 meses e ficar aguardando o resultado...
Não é fácil acordar todos os dias e pensar se mais um carocinho vai aparecer no seu corpo, se aquela tosse que você teve a noite é por causa de uma gripe ou pode ser algo pior, se a dor que você sente no cotovelo é mau jeito ou ... ou.... Prefiro nem pensar!

É mais fácil acordar tendo a certeza que nada de ruim vai acontecer. E, se acontecer, vai dar tudo certo. Optei por viver assim, confiante, feliz e resiliente...

E foi assim que a Gabi viveu e morreu.... 
Por isso hoje estou de luto!
Perdi um companheira de batalha!

6 comentários:

Vicentina 19 de set de 2011 16:23:00  

Imagino como deve ser difícil enfrentar uma doença como esta.
Fui lá no blog da Gabi conhecê-la, era linda e jovem, uma pena. Mas Deus sabe o que faz.
Que ela descanse na paz de Deus.
Querida sinta-se abraçada e consolada.
Bjs

Simone 19 de set de 2011 17:32:00  

Eu tb acompanhava o blog da Gabi mas não sabia que ela tinha partido. Ela ia fazer a cirurgia, não era?

Kris Nardini 19 de set de 2011 17:34:00  

Obrigada, querida Vicentina.

Simone, acho que a cirurgia seria amanhã...:(

André Leiras 19 de set de 2011 18:28:00  

Seguia a gabi no twitter. Nossa, fiquei muito triste.
Que fique na lembrança sua alegria e seu amor pela vida e pelos que aqui vivem.
Honrar a vida é honrá-la e
à todos que já descansam em paz.

Bjs Kris

Sandra Reis 19 de set de 2011 19:34:00  

Oi Kris
Venho pela primeira vez aqui, pelo título do post que me sensibilizou muito. Também sou vítima do câncer, não diretamente, mas vi meu pai adoecer e morrer em 3 meses apenas. Adoecemos emocionalmente vê-lo partir da maneira mais degradante possível...essa doença é perversa para todos, os que a sofrem diretamente (e é claro que reconheço que é infinitamente maior a dor) tanto para os que veem seus entes queridos passar por isso, apenas aceitando... que mais é possível fazer? Meu pai nem teve tempo de passar pelos 3 estágios. Teve um sofrimento brutal, porém breve. Estou triste pela Gabi (apesar de tbm não ter tido contato além de sua história)e por várias histórias à minha volta, mas apesar todo esse caos, vejo você como uma vencedora dessa guerra absurda. Vai dar tudo certo, Kris, vc vai ver. E Gabi, meu pai e tantos outros, acho que são vencedores também...fizeram o seu melhor, com certeza...
beijos, esse post é triste, mas é muito humano

Kris Nardini 20 de set de 2011 08:41:00  

Sandra, eu sei bem a sua dor... Meu pai se foi assim também.
Um beijo enorme, querida!

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Back to TOP